A ascensão dos cosméticos sem água e a improvável relação com a comida “fast-food”

A ascensão dos cosméticos sem água e a improvável relação com a comida “fast-food”

Regularmente, Simon Pitman (Editor, Jornalista) dá uma olhada no que está agitando a indústria. De aquisições a lançamentos e tudo que está rolando no mundo de cosméticos você encontra aqui no in-cosmetics Connect

___________________

Virginia proíbe testes de cosméticos em animais

O estado da Virgínia, nos Estados Unidos, anunciou que está proibindo o teste de todos os cosméticos em animais até o início de 2022. O Humane Cosmetics Act impedirá que os fabricantes de cosméticos realizem testes de qualquer tipo de animal, como também proibirá a venda de cosméticos testados em animais, a partir de 1º de janeiro de 2022.

O projeto foi promovido pela Humane Society dos Estados Unidos, que tem feito lobby em nível estadual e nacional para proibir os testes de cosméticos em animais no país por muitos anos. A organização disse que a nova legislação: “ilustra um ímpeto crescente nos esforços para acabar com os testes desnecessários em animais nos Estados Unidos e em todo o mundo para produtos como shampoo, rímel e batom”, em um comunicado à imprensa.

Virgínia junta-se à Califórnia, Illinois e Nevada para se tornar o quarto estado do país a introduzir tal proibição, dando um impulso cada vez maior para a aplicação de uma proibição em todo o país. Atualmente, seis outros estados estão considerando uma legislação semelhante, incluindo Maryland, Rhode Island, Oregon, Nova Jersey, Havaí e Nova York.

No entanto, globalmente, os Estados Unidos estão longe de liderar os testes em animais, pois mais de 40 países já aplicaram a proibição total. Esses países incluem a União Europeia, Turquia, Índia, Suíça, Noruega, Coreia do Sul, Reino Unido, Nova Zelândia, Israel e Colômbia

Semelhante aos EUA, o Brasil também está em um período de transição no que diz respeito à proibição dos testes em animais, com os estados de Mato Grosso do Sul, Amazonas, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo já aplicando proibições.

A L’Oréal investe em tecnologia de economia de água

chuveiroA startup suíça de tecnologia ambiental Gjosa foi adquirida pelo fundo de capital de risco da L’Oréal Development, BOLD Business Opportunities. A empresa está sediada em Bienne e chamou a atenção dos executivos da L’Oréal por causa de suas soluções exclusivas de economia de água.

As duas empresas já trabalham em um projeto de otimização da tecnologia de enxágue de shampoo desde 2015, com o objetivo de economizar água ao reduzir o tempo de enxágue total da espuma dos cabelos.

As empresas anunciaram em conjunto um chuveiro otimizado em 2018, projetado para enxaguar completamente o shampoo com apenas 1,5 litro de água, uma melhora acentuada em relação à média anterior registrada de 8 litros de água.

Na feira CES deste ano em Las Vegas, realizada em janeiro, as duas empresas apresentaram o L’Oréal Water Saver, que é anunciado como um sistema de tratamento capilar sustentável para rotinas de salão e em casa, projetado para economizar quantidades significativas de água.

“Na L’Oréal, pretendemos oferecer a melhor ciência para produtos de beleza sustentável e ser o campeão da‘ Beauty Tech ’”, disse Barbara Lavernos, diretora de pesquisa, inovação e tecnologia da L’Oréal.

“Ao combinar as inovações tecnológicas da água exclusivas da Gjosa com o conhecimento da L’Oréal sobre rituais de beleza, dados, tecnologia e personalização, iremos inventar juntos novas experiências de beleza aumentada para nossos consumidores, protegendo ao mesmo tempo o cobiçado e precioso recurso que é a água.”

Em toda a empresa, a L’Oréal já fez da gestão da água uma parte importante de suas metas de sustentabilidade futuras, tanto no que diz respeito aos processos de fabricação quanto à inovação de produtos. Até 2030, a empresa pretende garantir que todas as suas fórmulas respeitem os ecossistemas aquáticos, ao mesmo tempo em que pretende formar um sistema circular baseado na reciclagem e reutilização de toda a água nos processos industriais.

Além disso, a empresa afirma ainda que, até 2030, todos os seus fornecedores estratégicos usarão a água de forma sustentável em seus processos industriais.

A Unilever está eliminando o termo normal

diversidade, grupo de jovens

O termo normal está fora de questão, segundo executivos da Unilever, que afirmam que deve ser eliminado das embalagens e propagandas de todas as suas marcas de beleza e cuidados pessoais. A mudança faz parte do recém-lançamento da empresa, Positive Beauty, visão e estratégia, que define o que é descrito como,

‘Compromissos progressivos’ com as marcas líderes de beleza e cuidados pessoais da empresa, incluindo Dove, Axe e Sunsilk.

Isso explora o ímpeto crescente por trás do que está sendo cada vez mais reconhecido como uma nova era social, onde a inclusão e a diversidade, juntamente com a equidade e a sustentabilidade, estão sendo vistos como elementos cruciais para os consumidores de beleza. De acordo com a Unilever, a Positive Beauty conduzirá uma grande mudança no desenvolvimento de produtos, transformando tanto o design quanto a formulação para garantir que entreguem produtos que atendam às tendências de consumo.

A Unilever diz que a decisão de excluir a palavra “normal” é uma das várias etapas que a empresa está tomando para desafiar os ideais de beleza tradicionais, com o objetivo final de acabar com a discriminação e defender uma indústria da beleza mais inclusiva.

A empresa diz que tomou a decisão após um estudo de 10.000 pessoas que empreendeu para avaliar as atitudes dos indivíduos em relação à indústria da beleza e se o uso de “normal” para descrever produtos de cabelo e pele deixou as pessoas se sentindo excluídas. Os resultados da pesquisa revelaram que 56% dos entrevistados disseram que a indústria da beleza pode fazer com que as pessoas se sintam excluídas, enquanto 74% acharam que seria uma ideia melhor a indústria se concentrar em fazer as pessoas se sentirem melhor, ao invés de ter uma aparência melhor.

Além disso, um número significativo de 7 em cada 10 pessoas afirmou que usar a palavra “normal” na embalagem do produto tem uma conotação negativa, enquanto este número aumentou para 8 em cada dez na faixa etária de 18 a 35 anos.

A pesquisa da Unilever faz parte de um crescente estudo de evidências que aponta para uma nova era de consumo, em que as pessoas procuram produtos que atendam às suas necessidades individuais, ao mesmo tempo, que garantem que atendam a uma gama mais ampla de necessidades de beleza.

“Os consumidores, esperam cada vez mais que as marcas tomem uma posição sobre as questões que mais lhes interessam. As marcas da Unilever que notaram essa tendência dos consumidores cresceram duas vezes mais rápido do que o resto do portfólio em 2020”, disse Sarah, Kambou, presidente do Centro Internacional de Pesquisa sobre Mulheres.

“A pesquisa da empresa apoia ainda mais essa tendência, com a maioria das pessoas (69%) dizendo que recomendarão uma marca de beleza para seus amigos e familiares, se ela atender a uma ampla variedade de tipos de pele e cabelo, enquanto metade dos entrevistados pagaria mais para esses produtos”.

Chipotle  se une a e.l.f Cosméticos

prato de comida, chipotle

Não é todo dia que uma rede de fast-food faz parceria com uma empresa de cosméticos, porém a nova união da Chipotle com a e.l.f. cosméticos faz mais sentido do que você imagina. A marca de maquiagem cruelty free e 100% vegana anunciou uma segunda parceria com a Chipotle depois que sua colaboração anterior com edição limitada esgotou-se quase imediatamente no ano passado.

Desta vez, a colaboração vai um passo além, criando um pacote de edição limitada de quatro produtos que será vendido junto com uma tigela de burrito Chipotle – a primeira vez que a cadeia de alimentos criou um item de menu que é vendido junto com outra marca.

A coleção de cosméticos incluirá uma paleta de sombras de 12 cores projetada para refletir os ingredientes veganos da cadeia alimentar, junto com uma esponja de maquiagem de abacate, uma bolsa de maquiagem e um brilho labial inspirado no molho picante.

Batizado de vegano “Eyes, Chips, Face” Burrito Bowl, ele foi lançado exclusivamente no aplicativo Chipotle, para ser vendido em lojas Chipotle em todo o país. A tigela é 100% vegana, projetada para complementar o fato de que e.l.f. Cosmetics e Chipotle estão comprometidos em apoiar estilos de vida baseados em plantas.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.