NATIVOS ECOLÓGICOS – O NOVO CONSUMIDOR

NATIVOS ECOLÓGICOS – O NOVO CONSUMIDOR

Se você é brasileiro (a) e não se lembra da pomada Minâncora que servia para espinhas, odores, e muitas outras utilidades, ou não tem nenhuma recordação do batom 24 horas, que era verde mas na boca ficava vermelho e só saia no dia seguinte, ou ainda, não tem ideia de como era o cheiro dos cremes para cabelos Neutrox ou Yamasterol, certamente você já nasceu na era online, e nem imagina que esses foram cosméticos famosos nas décadas de 80 e 90 no Brasil.

Nessa época a oferta de cosméticos era infinitamente menor que a de hoje, não se falava muito em produtos orgânicos  e a relação entre as empresas e o consumidor também era completamente diferente: sem tantas informações  disponíveis a conscientização em relação a natureza era menor. Em poucos anos o mundo mudou, a internet fez uma revolução não só na forma das pessoas se comunicarem, mas ajudou a fazer mudanças na forma delas viverem, se relacionarem com o meio ambiente e consumirem.

A publicitária Melissa Volk viveu na época desses cosméticos da década de 90, mas foi só anos atrás, quando seu pai e sua mãe tiveram câncer, que ela começou a pesquisar sobre alimentação saudável e acabou entrando no mundo dos cosméticos naturais, refletindo como ela poderia mudar seus hábitos para minimizar o impacto negativo na natureza.

Melissa foi ainda mais longe, como estava inserida no mercado sustentável há anos, criou  o Slow Market Brasil  e o Slow Market.Beauty, uma plataforma e um evento que reunem marcas “green” de beleza com conteúdo dirigido a profissionais do setor, varejistas, investidores e consumidores gerais. A publicitária acredita que o boom de empresas de cosméticos que estão chegando ao mercado com propostas mais sustentáveis se dá pela  busca por um estilo de vida mais saudável e equilibrado.

“A conscientização com alimentação, com a crescente busca por alimentos orgânicos e também o aumento do veganismo, foi um grande responsável por esse aumento. Muitas marcas surgiram por uma necessidade pessoal de saúde, onde seus fundadores tinham problemas de pele, alergias. Um excelente exemplo de como as coisas estão mudando é ver grandes fabricantes de insumos lançando e desenvolvendo ingredientes “verdes”, por já ser uma demanda do consumidor e dos grandes players. É um caminho sem volta e cada vez mais teremos consumidores procurando e escolhendo produtos mais “limpos” e menos agressivos.” – explica Melissa.

Natália Leite é um exemplo desses consumidores, com 22 anos e cursando o último ano da faculdade de arquitetura em São Paulo, ela faz parte da geração Z (que nasceu depois de 95), e chegaram em uma sociedade completamente digital. A estudante conta que acessa o Youtube desde adolescência e foi na plataforma que aprendeu a se maquiar, a pesquisar reviews para se informar se um produto é bom ou não, além de buscar dicas de cosméticos naturais e orgânicos nas redes.

“Eu só uso produtos orgânicos. Demorei 2 anos para fazer essa transição e não coloco mais nada na minha pele que tenha componentes nocivos. Também tenho buscado empresas que consigam oferecer embalagens recicláveis.” – afirma a Natália.

As especialistas em beleza e tendências Vânia Goy e Iza Dezon juntaram seus talentos para identificar algumas das mais recentes dinamicas de inovações para ajudar marcas e fornecedores do mercado de beleza a criarem produtos, serviços e propostas de varejo sustentáveis e disruptivas, garantindo a sua relevância no futuro próximo.

Elas apresentarão a palestra “Natureza Tech – A beleza na era dos nativos ecológicos” no Marketing Trends da in-cosmetics Latin America, onde explicarão sobre os Nativos Ecológicos, uma geração de jovens que vem exigindo que os métodos de produção de embalagens, pontos de venda e serviços, considerem antes de tudo, a saúde dos individuos e do meio ambiente.

“Está acontecendo uma mudança de paradigma em relação a nosso relacionamento com o LIXO e LUXO ao mesmo tempo. Hoje existe uma consciência maior sobre o lixo porque tudo o que produzimos continua no planeta, não jogamos fora. Nosso relacionamento com o LUXO também está sendo revisto: afinal o que é luxo? Preservar a natureza ou produzir um brilho que utiliza vários metros cúbicos de água a mais? – questiona e finaliza a especialista Iza Dezon.

Palestra:

“Natureza Tech – A beleza na era dos nativos ecológicos”

Dia 19 de setembro

Marketing Trends

Das  15h30 às 16h15

Palestrantes: Vânia Goy e Iza Dezon.

Esperamos vocês lá!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.